Minha Experiência com Maria

Minha experiência com Nossa Senhora é muito simples. Acredito que muitas pessoas possam ter passado por algo parecido e se identifiquem com a minha história.


Tudo se dá início com a minha dificuldade em relação a presença paterna, pois eu não conseguia ver a imagem de pai nem em "meu pai terreno" e muito menos em Deus Pai. E no momento que eu engravidei do meu filho João Victor, mais precisamente próximo ao parto dele, eu tive eclampsia e os médicos falaram que eu tinha pouca chance de sobreviver e muito pouca também, o bebê. Eu já fiquei espantada e perdi "meu chão".


Eu não tinha a experiência com Deus como tenho hoje, mas, naquele dia – que me lembro como se fosse hoje -, quando eu ia me encaminhando para a sala de cirurgia já em meio a muitas dores – que só quem é mãe sabe o quanto dói, eu me deparei no corredor com uma imagem de Nossa Senhora muito bela, com seu manto branco e com as mãos postas; e, naquele momento, não tinha fé, não acreditava em Deus e não tinha nenhuma perspectiva de nada. Mas quando eu fitei o meu olhar na imagem de Nossa Senhora, eu senti uma paz e no impulso de uma mãe para outra mãe – a "Mãe por excelência" -, pedi a graça de pelo menos ver o rosto do meu filho, pedi a Ela a chance de ter uma vida nova. E posso dizer que no meu leito, Ela ouviu a minha prece como filha e mãe, como alguém que nunca pediu nada, mas alguém que precisava naquela hora não só a questão de que eu necessitava, era o Kairós de Deus e precisava reconhecer quem era Deus – e eu reconheci naquele dia, no momento mais duro da minha vida, através da Mãe, a Virgem Maria.


Hoje, Ela é algo muito “simples”. A vejo como uma mãe que cuida de mim e do meu filho, que me ensina a ser mulher, me educa na fé, que me faz ser uma mulher extremamente eucarística e, através dEla, consigo lutar para buscar as virtudes da paciência, pureza, pobreza e de ser pequena ao olhar de Deus, que na minha pequenez faz acolher as dores da Virgem no Calvário, unindo o meu caminhar ao dEla no calvário da vida, para assim educar o meu filho assim como ela guarda no meu coração e tudo levar ao coração de Deus. De que Ela me ensina a ser filha, a ser mãe e que Ela possa me ensinar a ser esposa como Ela também foi e, o mais bonito de tudo, é saber que Deus me tocou através dEla. Nunca tinha tido uma experiência com Deus e nem com nada espiritual. Escutei esta música muito clara na hora do meu parto: “abraço de Pai”, do Walmir Alencar. É muito forte a frase que fala: "e ao me beijar, me acolheu num Abraço de Pai". Essa música fez todo sentido na minha vida porque supliquei à Nossa Senhora e, se não fosse Ela a me apresentar a Deus Pai, a quem hoje Ela me ensinou a ver e amar, eu não seria a mulher que sou hoje, mãe de um menino lindo, uma mulher consagrada a Deus pelas mãos da Virgem Maria, Leiga de Aliança Associada ao Carisma dos Pobres de Jesus Cristo e ciente da minha vocação no mundo.






Mozeilda Alves Marins

Leiga de Aliança- Missão do Crato

565 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo