Eu e minha noiva somos missionários!



Você já pensou em deixar tudo para seguir a Cristo?

Sair da sua terra, do conforto do seu lar para ir aonde Deus te conduzir?


Essas e outras perguntas inundaram a minha cabeça e da minha noiva (na época namorada) antes de tomarmos a decisão de seguir a vida missionária. Nós já fazíamos parte da comunidade havia mais ou menos quatro anos, sempre servindo nas pastorais da missão, encontros e no que era necessário.


Foi nessa época que nos conhecemos, nos tornamos amigos, e através dessa amizade em Deus e pelo desejo comum de buscar a santidade, surgiu o namoro, guiados por nossos irmãos religiosos no caminho que deveríamos seguir.


Sempre partilhamos de um amor muito grande pelo carisma e nos doávamos ao serviço de Deus, sabendo que ali era o nosso lugar; todavia, tanto para mim, quanto para ela, faltava alguma coisa: algo precisava ser preenchido dentro de nós, mas não entendíamos o que era.


Mal sabíamos que em julho de 2017 teríamos uma resposta para essa inquietação do nosso coração, quando recebemos o convite para a vida missionária. Foi uma grande surpresa, somada ao medo e à inúmeras perguntas: O que é ser um missionário? Como viveremos? E o namoro? Vamos morar perto?


Eu, que já morava na casa dos Freis há 2 anos, trabalhando fora e servindo com eles, consegui acolher com mais tranquilidade esse desafio, pois já tinha uma experiência com a vida comunitária; também apoiado por meus pais, irmãos e amigos.


Para a minha noiva foi um pouco mais difícil, pois tinha sua independência, trabalho e morava sozinha. Era tudo no seu tempo, do seu jeito, e pensar que teria que deixar essa vida para morar com várias pessoas em uma casa formativa, viver da providência… era muito desafiador. Além disso, ela não recebeu o apoio dos pais, o que tornou a decisão muito mais dura para ela.


No entanto, tudo já estava nos planos de Deus, e Ele foi nos orientando, dando discernimento e nos conduziu ao nosso SIM. Restava somente esperar o dia de partir, o qual chegou primeiro para mim.


Fui para São Paulo, e ela continuou em Belém, organizando as burocracias do trabalho. Depois de um período em uma das casas da Fraternidade em Parelheiros-SP, que foi um tempo de crescimento e muito aprendizado para mim, parti para cidade de Corbélia – PR.


Após uma breve experiência na casa de formação em Belém do Pará, ela partiu para a missão, e nos encontramos depois de quatro meses longe um do outro. Apesar de ser tudo muito novo para nós, aos poucos Deus foi nos guiando, mostrando como tudo aconteceria. E as respostas às perguntas que fazíamos, foram surgindo. Já sabíamos que poderíamos nos comunicar pelas redes sociais, o que nos alegrou e é o que fazemos todos os dias como qualquer casal.


Mesmo morando em cidades diferentes, sempre que possível nos encontramos para matar as saudades, por muitas vezes sob o olhar atento dos Freis e Freiras (rsrs). Essa experiência tem sido de grande valia para nós, uma Graça de Deus, pois tem nos ajudado na vivência de um namoro em Deus, que buscamos desde o início do nosso relacionamento.


Nesse ano de vida missionária, enfrentamos muitos desafios: ficar longe da família, dos nossos amigos, da nossa cultura. Também ter que, por vezes, ficar distante um do outro, e renunciar às nossas vontades diárias, o que não é uma tarefa fácil. Mas Deus tem nos dado a graça de transformar tudo em aprendizado.


Temos a certeza de que por nossa entrega diária, nada nos tem faltado. O Senhor tem sido providente em tudo, do comer ao vestir. Posso partilhar a experiência do nosso noivado, que desde a compra das alianças - que conseguimos com a ajuda de grandes amigos; até o dia do noivado, que foi preparado com tanto carinho pelas Freiras e Formandas da casa de missão de Florianópolis - foi tudo sonhado por Deus.


Ser missionário, é algo que estamos descobrindo dia após dia - assim como outros irmãos e irmãs que também ouviram a voz de Deus e deixaram tudo para segui-Lo, pois Ele sabia qual era a nossa vocação desde sempre, e a plantou em nossos corações. Ser um casal em missão é confiar a Deus a nossa vocação missionária e matrimonial; é dividir momentos bons e ruins, partilhar de experiências e aprender juntos e com o outro.


Uma vocação que veio tão de repente, cercada de questionamentos, mas que hoje nos completa e nos faz tão felizes, só poderia ter vindo do coração de Deus.


O que vem pela frente? Não sabemos! Só o que queremos é fazer valer o nosso chamado, nos doar cada vez mais e poder dizer com a nossa vida a tantos outros que também tem a vocação

missionária de que "VALE A PENA DEIXAR TUDO POR DEUS".


Pablo Miranda e Nayara Mendonça

Missionários - Laguna e Tubarão/SC

837 visualizações3 comentários
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram
  • Branca ícone do YouTube

Copyright © 2019 Fraternidade O Caminho | Design e Desenvolvimento Creative Brands