A DEVOÇÃO AO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

Jesus quer estabelecer no mundo

A devoção ao Imaculado Coração de Maria

A memória do Imaculado Coração de Maria começa a ser celebrada ainda no século XVII, tendo como seu protagonista São João Eudes - O apóstolo do Coração de Jesus e Maria - que obteve do Bispo de Autun, na França, a aprovação da celebração da festa. Atualmente, no calendário Romano, a celebramos no sábado seguinte à Solenidade do Sagrado Coração de Jesus.


A Santa Sé mostrou-se favorável ao culto do Imaculado Coração no início do século XIX. Em 1805, o Papa Pio VII concedeu a autorização para a celebração da festa às dioceses e às congregações religiosas que lhe pediam. No ano de 1855, o Papa Pio IX aprovou a Missa e o Ofício próprios do Imaculado Coração de Maria. Durante a Segunda Guerra Mundial, em 8 de dezembro de 1942, na Solenidade da Imaculada Conceição, o Papa Pio XII consagrou a Igreja e todo o gênero humano ao Coração Imaculado de Maria e, três anos depois, em 1945 estendeu a festa do Imaculado Coração de Maria para toda a Igreja Católica.


No entanto, é impossível não remeter por meio dos relatos de São Lucas, indícios dessa devoção já nos primórdios da Igreja: “Maria, contudo, conservava cuidadosamente todos esses acontecimentos e os meditava em seu coração” (Lc 2,19) e “Sua mãe, porém, conservava a lembrança de todos esses fatos em seu coração. ” (Lc 2, 51). Por meio de sua sensibilidade ao “incomum coração da Virgem Mãe de Deus” o evangelista faz questão de transcrever para as gerações futuras o precioso tesouro contido nesse simples vaso de barro, dando-nos a possibilidade de, conhecendo-o, buscar sua semelhança.


O coração, afinal de contas, de forma ampla na linguagem bíblica, não representa somente o órgão que bombeia sangue para o corpo, mas sim a capacidade de amar; o berço das emoções, dos sentimentos, dos anseios. O coração é o lugar do encontro, é o lugar do “maior tesouro”, é o trono de Deus.


No Coração de Maria, nós podemos ir além de tudo isso, pois Ela é a Escolhida, a Cheia de Graça, Ela é aquela a quem São Luís Maria Grignion de Montfort diz que pôde conter em seu seio aquEle a quem os céus não puderam. O coração da Virgem é o cumprimento da profecia de Natã ao rei Davi. Ela é a casa em que Deus estabelece para sempre o Seu trono (2Sm 7,13), é o sinal vindo de Deus à casa de Israel (Is 7, 14), é a seta, o espelho para o Cristo (Jo 2,5) ... é o coração que comporta não a todos, mas A CADA UM, de forma singular (Jo 19, 27).


Relata São João Eudes sobre a perfeição do Coração da Virgem:


“O Coração de Jesus e o de Maria não têm diferenças entre si, mas constituem, pela união existente entre ambos, um só e mesmo Coração. Jamais tivemos, no entanto, a intenção de separar duas coisas que Deus uniu tão estreitamente, como são o Coração augustíssimo do Filho de Deus e o de sua Bem-Aventurada Mãe”.


Pensar no Imaculado Coração da Virgem Santíssima é contemplar a incompreensível sabedoria de Deus que, por amor ao Filho, escolhe conter TODO O CÉU no seio de Sua humilde escrava, também como consolo de Sua encarnação.


Na segunda aparição da Santíssima Virgem Maria, em 13 de junho de 1917, em Fátima, Portugal, a Virgem Maria disse à Lúcia: “Ele [Jesus] quer estabelecer no mundo a devoção do meu Imaculado Coração”. Na aparição seguinte, no dia 13 de julho, Nossa Senhora concedeu às três crianças verem no inferno, os demônios e as almas dos condenados, que gritavam e gemiam de dor e desespero. Depois de dar-lhes essa visão assustadora, disse aos pastorinhos: “Vistes o inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção ao Meu Imaculado Coração”



Jesus, como filho da Virgem Maria, também aprendeu com o Imaculado Coração de Maria a ter um Sacratíssimo Coração. Nós não temos uma outra via a percorrer se não a mesma. Ela é a nossa Janua caeli.


Oh Virgem Santa, que não sejamos alheios a esse caminho seguro de salvação e santificação das almas, mas inflamados pelo desejo do Coração de Jesus por devotos reparadores ao Vosso Imaculado Coração, alcançado pelas experiências dos santos e atraídos por essa fonte de graças que jorra da vossa alma transpassada pela espada, possamos declarar em nossas vidas:


“Por fim, o Vosso Imaculado Coração triunfará.”



Frei Josué do Coração Compassivo de Maria, pjc


204 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo